Villa assina o Pacto em Porto Alegre

 
Em ato político realizado no final da tarde de ontem, quarta-feira (15), na Esquina Democrática, na presença de centenas de militantes, simpatizantes e populares que passavam pelo local, Villa, Bonete e a Frente Popular lançaram a Carta Compromisso com a Juventude, conjunto de 13 propostas para valorização dos jovens em nossa capital. “É com muita honra e orgulho que assino este documento em que firmo compromissos que visam responder às demandas da diversidade da nossa juventude. Tenham a certeza que cumprirei cada um dos pontos aqui destacados, pois sou de um partido que teve sua construção ligada às lutas da juventude brasileira, desde a resistência à ditadura passando pela  redemocratização e reconstrução da nossa democracia”, assegurou Villa. Durante a sua fala, o candidato petista ressaltou ainda “que a juventude teve e tem papel estratégico nas transformações da nossa sociedade. Não é possível pensar Porto Alegre sem pensar na juventude, que deve ter um papel protagônico nesse processo de transformação da nossa cidade”.
Entre os 13 pontos da Carta Compromisso, está o Bolsa Juventude. Segundo Villa, a proposta é direcionada a jovens de baixa renda para que estes possam também dedicar tempo para sua formação e qualificação, a partir do recebimento de uma ajuda de custo mensal. “Atualmente existe uma grande diferença entre as condições de trabalho dos jovens das classes populares e os jovens das classes média e alta. Isso acontece porque, enquanto os jovens com maior poder aquisitivo da sociedade podem adiar sua entrada no mercado de trabalho, dedicando mais tempo à formação e qualificação, os jovens de baixa renda necessitam trabalhar mais cedo, para contribuir no sustento da casa. A consequência é um ingresso no mercado em condições precarizadas de trabalho”, explicou Villa, destacando que a proposta visa justamente enfrentar essa desigualdade de oportunidades.
Praça da Juventude
O documento traz ainda outros destaques para valorização dos jovens em nossa capital. Um destes é oferecer espaços públicos, ambientes saudáveis de convivência e lazer, possibilitando a troca de conhecimentos. “Para isso, é preciso descentralizar os parques da cidade, construindo Praças da Juventude e revitalizando parques já existentes nos bairros e comunidades, que hoje estão abandonados pela gestão municipal”, ressaltou Villa, lembrando que a comunidade da Vila Bom Jesus perdeu, por falta de competência da atual gestão, os recursos que seriam destinados à construção da Praça da Juventude na região nos moldes originais. “Se não tivessem perdido o prazo, se houvesse gestão e planejamento ela seria bem mais completa e ampla do que a foi feita, em contrapartida, pela iniciativa privada. Faltou compromisso e comprometimento por parte da atual gestão com a comunidade. Não podemos mais perder as boas oportunidades oferecidas pelo Brasil e o RS, que estão crescendo, incluindo e oferecendo perspectivas à população”, criticou.
A Carta traz também propostas para reestruturação do Projovem, ampliação do Projovem Urbano e criação do Projovem Tec (voltado ao ensino de informática profissionalizante); criação do Plano Municipal de Fiscalização dos Estágios (com vistas a fiscalizar as condições do ambiente de trabalho dos jovens estagiários, além de evitar a exploração e precarização); criação de Centros de Referência da Juventude, para colaborar com a estratégia das políticas de segurança cidadã; extensão do meio-passe para os domingos e feriados e reestruturação e ampliação dos Telecentros, com reserva de horários para cursos básicos, profissionalizantes e técnicos nas áreas de Informática e Tecnologia da Informação.
Sintonizado com a política nacional da presidenta Dilma
Além da Carta Compromisso, Villa também assinou o Pacto pela Juventude, proposição das organizações da sociedade civil que compõem o Conselho Nacional de Juventude, para que os governos federal, estaduais e municipais se comprometam com as políticas públicas de juventude – e que as consolidem como políticas de estado – e incorporem em suas plataformas eleitorais as demandas da juventude brasileira. “Estamos sintonizados com a agenda da política nacional para os jovens desenvolvida pela presidenta Dilma  no que diz respeito a garantir educação de qualidade, assegurar trabalho decente, promover a saúde integral, o direito à comunicação, o acesso à cultura, ao esporte e ao lazer”, assegurou Villa.
O Conselho Nacional de Juventude foi criado em 2005 pela Lei 11.129, que também instituiu a Secretaria Nacional de Juventude, vinculada à Secretaria-Geral da Presidência da República, e o Programa Nacional de Inclusão de Jovens (Projovem). O Conselho tem, entre suas atribuições, a de formular e propor diretrizes voltadas para as políticas públicas de juventude, desenvolver  estudos e pesquisas sobre a realidade socioeconômica dos jovens e promover o intercâmbio entre as organizações juvenis nacionais e internacionais. O Conjuve é composto por 1/3 de representantes do poder público e 2/3 da sociedade civil, contando, ao todo, com 60 membros, sendo 20 do governo federal e 40 da sociedade civil.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s